quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

GLOSSÁRIO DA BURGUESIA PAULISTA



















Há anos tento entender essa espécie de gente preconceituosa e sem noção, que vota no Maluf e está o tempo todo pagando mico na TV com declarações bombásticas sobre ciclovias e pessoas pobres. Não foi nada fácil. Depois de muitos anos, o que consegui foi esse glossário. Já ajuda em caso de comunicação.

Pus na primeira pessoa para dar um "enhance" na "xperience", quando ler pode imaginar a voz do Boris Casoy narrando. Como eles diriam, “enjoy”:

- AMOR – Vide o verbete “dinheiro”.
- BRASIL – Essa gente diferenciada de fora de São Paulo. Venha, amor, não se misture com essa gentalha. Gentalha, gentalha!!!
- GENTE DIFERENCIADA – O povo brasileiro. Em nossos bairros, somente uniformizados e com crachá, por favor.
- NÃO É GENTE – O povo imigrante boliviano. Fabricam nosso vestuário chique longe dos condomínios de luxo, só queremos ver o produto já limpinho e passado na vitrine da loja.
- METRÔ – Meio de transporte da gente diferenciada. Circula por debaixo da terra, muito adequado isso.
- CICLOVIA – Detestamos. Um incômodo para quem anda de salto alto e precisa estacionar carro importado. Além disso, com ela, gente diferenciada pode circular acima do chão, o que é anti-estético, e quase anti-higiênico.
- ARTE – Vide o verbete “dinheiro”.
- DASLU – Mais que uma loja, um estilo de vida. Preços estratosféricos, sonegação de impostos, descaminho de mercadorias e falência fraudulenta. Deveria abrir uma maternidade para a gente já nascer lá!
- DINHEIRO – O sentido da vida, individual e coletivamente.
- ENSINO DE QUALIDADE – Vide o verbete “dinheiro”.
- COLETA DE ÁGUAS PLUVIAIS – Vide os verbetes “Jardins” e “Higienópolis”.
- JARDINS – Bairro que, a todo custo, tentamos manter sem gente diferenciada.
- LIXEIRO – O mais baixo na escala do trabalho, serviço típico de gente diferenciada. Um mal necessário, mas só deveriam trabalhar de madrugada e em silêncio.
- HIGIENÓPOLIS – Vide o verbete “Jardins” só que mais a sério, de preferência sem metrô.
- NEGROS – Vide o verbete “gente diferenciada”. Nossos restaurantes têm instruções precisas quanto às crianças dessa cor.
- GAYS – Um outro tipo de gente diferenciada. Só são aceitáveis em salões de beleza. No máximo, estilista também pode. Se andar em nossas ruas tem que disfarçar, senão apanha.
- LÂMPADA FLUORESCENTE – Material altamente versátil. Depois de finda sua vida útil, serve para espancar gays sem sujar as mãos.
- MANIFESTAÇÃO PÚBLICA – Coisa de gente que, além de diferenciada, é desocupada. Se começar a incomodar, vide o verbete “polícia”.
- MORADOR DE RUA – Algo entre “gente diferenciada” e “não é gente”. Inaceitável na porta do nosso condomínio. Se começar a incomodar, vide o verbete “polícia”.
- NORDESTINOS - Vide o verbete “gente diferenciada”. Um capacete de obra é bom, disfarça o crânio achatado.
- POLÍCIA – Serve para manter a gente diferenciada em seu devido lugar.
- ROTA – Serve para desovar a gente diferenciada em qualquer outro lugar.
- POLÍTICA - Vide o verbete “dinheiro”.
- SKINHEADS – Juventude ativa, fazem o serviço sujo por nós.