terça-feira, 5 de setembro de 2006

Mustache Rider Returns - Parte 1


Já tem um bom tempo que o Reinaldo me enche o saco para eu voltar a escrever no Buldozer. Já falei que não tinha tempo, que essas merdas de Blog não sustentam ninguém, etc. O pior é que o cara é chato pra caralho e ficou no meu pé, prometeu até um boquete para cada post que eu escrevesse. Não curto esse lance de macho chupando meu pau mas para o cara parar de implorar resolvi voltar.

Nem lembro mais quando foi a última vez que postei aqui, mas meu tempo (pra variar) está bem escasso: trampo, escrever livro, palestras, projetos, bla bla bla. Ok, isso não é desculpa, então vamos aos fatos reais que me levaram a uma ausência tão grande.

Estava um dia trabalhando tranquilamente quando recebi um e-mail que contava a história de uma menina desaparecida, com uma foto em anexo. Os pais estavam desesperados e pediam para que as pessoas repassarem o e-mail para no mínimo 25 pessoas. Tinha até um comentário no final dizendo que quem não o fizesse iria sofrer as conseqüências e todas essas merdas desses e-mails idiotas. Pensei: "Porra, essa menina, se existir, já deve estar morta". Que engano ... Se eu pudesse voltar atrás teria encaminhado o maldito e-mail.

Notei então que coisas estranhas começaram a acontecer comigo. No início foram coisas simples, como todos os armários da cozinha se abrirem sozinhos de vez em quando, as luzes apagarem e essas merdas. No começo nem liguei, mas o lance foi piorando. Comecei a receber telefonemas estranhos, quando atendia ouvia alguns sussuros sem entender nada do que diziam. Um dia olhei no espelho do corredor de casa e vi uma imagem de uma menina em pé, me olhando. Olhei para trás e não havia ninguém. Sempre quando dirigia sozinho tinha a impressão que havia alguém sentado no banco de trás do carro; algumas vezes ao passar pelo parquinho vazio do meu prédio a gangorra começava a se mover; além de outros fatos estranhos.

Certa noite minha esposa pediu para eu comprar algumas coisas no supermercado que fica aqui perto de casa. Como é na rua logo abaixo da nossa, resolvi ir a pé mesmo. Fui andando ao supermercado e passava ao lado de uma construção abandonada. De dentro da construção ouvi um pedido de socorro, era uma voz de criança, imaginei que poderia ser a menina do e-mail. Na hora senti um certo medo, mas pensei que talvez se eu ajudasse a porra da menina ela pararia de me encher o saco. Entrei na construção e fui seguindo a voz da criança até chegar a uma porta. Pensei algumas vezes antes de entrar, mas já que estava lá, resolvi ir até o fim para ver no que ia dar. Entrei pela porta e andei alguns passos, estava bem escuro. Logo depois que entrei acabei tropeçando em alguma coisa e caí em um fosso de elevador. Não sei quantos andares caí, mas sei que doeu pra caralho. Logo pensei: "Puta que pariu, o que eu vim fazer aqui?"

Logo que eu caí, percebi que a construção não possuía escadas, cordas e nem nada que me ajudasse a sair dali. Estava sangrando, sujo e preso em um lugar que eu não sabia como sair, então pensei: "Isso não pode piorar". Quanto engano. Comecei a andar por aquile local em busca de uma possível saída e achei uma outra porta. Abri a porta e dentro dela vi algo que me assuntou no começo: lá estava a tal mina chata que eu acreditava ser a causadora de tudo aquilo. Ela estava nua, sentada no chão, amarrada e com um silver tape na boca, igualzinho em vários filmes. Haviam algumas velas no local, um cheiro forte de algo que não consegui identificar e algumas palavras indecifráveis escritas na parede. Minha primeira reação foi querer espancar a menina mas antes mesmo que tivesse tempo de ponderar sobre isso entraram 5 mulheres armadas, duas com escopetas, uma com uma 44, uma com uma AK-47 e a última com uma barra de metal.

- "Puta que pariu, falei que um dia alguém ia achar ela aqui."
- "Caralho, vamos acabar com isso de uma vez, porra!"
- "Aí gordo, perdeu!"

Ouvi a discussão delas por poucos segundos e já tomei uma pancada na cabeça, mas antes de cair e desmaiar ainda tive tempo de ver a menina sucumbir com três tiros na cabeça, enquanto as mulheres se ajoelhavam sobre ela para devorar sua carne.

(Continua ...) * Claro seu imbecil, é por isso que se chama "Parte 1".

Mustache Rider