sexta-feira, 27 de maio de 2005

ALGUMAS OBSERVAÇÕES SOBRE "STAR WARS - EPISÓDIO III"

...que não devem ser lidas por quem ainda não viu o filme.

Bem, para começar, uma recomendação a quem ainda não viu o filme (e vai ler esse texto mesmo assim) ou para quem quer ver de novo, aqui em Brasília: Cine Márcia, no Conjunto Nacional. A tela é gigante, o cinema enorme, e a inteira é oito reais durante a semana (consequentemente, a meia é quatro). Além disso, a pipoca e o refrigerante tem preços razoáveis, e nego não tem empurra um saco de pipoca para abastecer 10 pessoas, sendo que está só você e sua garota. É um saco de pipoca normal, refrigerante em lata, uns doces e pronto. Embora as fileiras não tenham muita diferenciação na altura, o cinema é tão grande e dá tão pouca gente que não rola de você ficar atrás de algum cabeçudo. Se alguém vier me dizer que a sala é feia e o som é uma merda, vou responder: esse negócio de sala bonitinha, com cadeiras stadium e som sorround é COISA DE BICHA! O Márcia é no centro da cidade, a tela é gigante e a entrada é barata. Cinema de macho.

Quanto ao filme, é tudo o que disseram e muito mais. Do caralho. Só tem umas cagadas, e como o Buldozer é um espaço destinado à crítica mórbida e destrutiva, é delas que vou falar um pouco agora. Em primeiro lugar, parte do que aconteceu ali poderia muito bem ter sido desenvolvida nos filmes anteriores. As coisas poderiam ter ocorrido de forma que os Jedi passassem a desconfiar de Palpatine e investigá-lo já no episódio II: assim, teria tempo para se mostrar a perseguição a eles, em vez de exterminá-los de forma tão ridícula. Isso quem me falou pela primeira vez foi o Reinaldo, a princípio eu disse: "mas eles foram pegos de surpresa", porém depois raciocinei como ele, guerreiros tão mega punks não poderiam ser detonados tão facilmente por meia dúzia de clones. Eles podiam morrer, mas de forma mais elaborada. Como? Sei lá, porra! Se eu soubesse, seria roteirista de cinema e estaria rico que nem o George Lucas. Como não sei, tenho que ficar nessa porra de órgão público ouvindo sapo de viado com o rei na barriga. Mas foda-se, vamos continuar.

O que eu mais temia para esse filme aconteceu, como eu previa: arranjaram um jeito de limpar a barra do Anakin. Em vez dele passar para o Lado Negro da Força (que a merda da cartilha politicamente correta viada e fdp transformou em "lado sombrio" nas legendas) simplesmente por sua arrogância e sede de poder (que foi até bem desenvolvida no Episódio II), ele passa para o Lado Negro na esperança de adquirir poderes para salvar sua namoradinha da morte. Isso cria dois problemas brabos de roteiro:

- Primeiro, faz o filme cair num chavão MUITO batido de estórias de premonição e viagem temporal, que é quando o cara tem uma visão de futuro dark, começa a fazer de tudo para impedi-la, e no final são justamente aquelas atitudes dele que fazem a parada rolar. Só para dar um exemplo, Minority Report trabalha exatamente o mesmo tema - mas de forma muito mais elaborada.

- Segundo, faz ficar inverossímel a permanência de Darth Vader ao lado do Imperador após a notícia da morte de Padmé. Você pode dizer que ele não tinha mais nada a fazer a partir de então, mas mesmo assim ficou estranho. Aliás, num filme como esse usar o chavão da moça "morrer de desgosto" achei meio foda também.

Por fim, foi meio súbita a passagem de Anakin para o Lado Negro. Em um momento, ele não quer que o Windu mate o Sith vencido porque isso "não é atitude de Jedi", duas horas depois tá chacinando criancinha com o sabre de luz no Templo Jedi? Nada contra ele matar criança no filme, podia dar até uma de pedófilo necrófilo para ficar mais dark...só que essa passagem para o mal tinha que ser um processo, né? Parece um colega meu e do Reinaldo, quando a gente era adolescente, ficamos de cara. Um dia, o cara tava todo sorridente, feliz e bem vestido com roupinhas de marca. No dia seguinte (sem exagero), apareceu todo rasgado, sujo, com blusas escrotíssimas de metal e tal, e continuou assim por toda a adolescência. Eu brincava que ele era tipo o Clark Kent tirando a blusa, de tão veloz que foi a mudança.

George Lucas já anunciou que fará um seriado de TV para Star Wars. Tô só esperando a merda. Afinal, você já tem uma história fechadinha, qualquer coisa que façam no meio vai ser só enrolação. Além disso, ficou claro que todos os Jedi dançaram, com exceção de Yoda e Obi-Wan-Kenobi, que foram para o exílio. O que caralhos vão mostrar? As aventuras de Luke adolescente, fazendo troca-troca com o Povo da Areia em Tatooine? Obi-wan virando assassino contratado para levantar a verba e construir seu barraco? Yoda comendo morcego frito em Dagoba? Darth Vader reclamando para o Imperador que a lava destruiu suas bolas?

Mas não me entendam mal: para mim, Episódio III é o melhor da série, superando até mesmo o "Império Contra-Ataca". Porradaria é do caralho, história é dark, não tem piadinha babaca de Jar Jar Binks, apesar do que falei acima, a estória, no geral, é ótima, enfim, o filme é do caralho. O que, naturalmente, não quer dizer que eu vá participar dessas merdas de fã-clube ou de porra de "Conselho Jedi", onde a única coisa que os porras desocupados fantasiados de merda tem em comum com os Jedi é o celibato.