sexta-feira, 8 de abril de 2005

MISSA DE SÉTIMO DIA



Ao completar sete dias sem umas boas risadas vendo na TV um ser disforme, branco e enrugado andando de um lado para o outro em salas de hospitais, me entrego a alguns devaneios, reflexões e dúvidas.

Por exemplo, sempre tive a curiosidade em saber se o Wojtyla rangava os coroinhas no banco do papamóvel ou se os levava a sua cela pessoal no Vaticano. Também sempre refleti no porquê de tanta implicância com camisinha. Todo mundo sabe que ele não usava porque molequinho de oito anos não engravida. Mas por que a implicância com os outros usarem? Bem, meu chute é que ele tinha Aids, aposto que pegou de algum garoto de programa italiano ainda no início do epidemia, por volta de 1983. Com certeza, deve ter detectado o vírus por volta de 1985, ficou com ódio das autoridades por não terem feito uma campanha de prevenção antes, e passou a condenar o uso do preservativo para que as pessoas se ferrassem com ele de forma solidária.

Em 1990, ele começou a apresentar os primeiros sintomas da doença e a se sentir fraco. Para disfarçar as constantes internações, passou a tremer as mãos ocasionalmente e dizer que estava se tratando do Mal de Parkinson. No presente milênio, as constantes doses de AZT e coquetéis em geral passaram a cobrar seu preço de forma mais intensa, e as deformidades com as quais já nos tínhamos acostumado a conviver na TV se tornaram cotidianas nos corredores do Vaticano.

O Papa não sofreu qualquer preconceito por sua condição de saúde, até porque muitos cardeais sofriam do mesmo mal, e não é improvável que o próximo papa continue mantendo aberta a conta de fornecimento de remédios específicos para o Sumo Pontíficie. Enfim, em 02 de abril de 2004, o papa disse para seus assessores mais próximos:

- Por favor, eu não quero aparecer na capa da Veja no mesmo estado que o Cazuza!

Com pena, e identificando-se com a situação, os cardeais puxaram o tubo de oxigênio do Karol, e sua morte foi rápida. O mundo agora comemora a morte de um dos grandes nomes do século XX, com pompa.