quinta-feira, 1 de abril de 2004

Buldozer Corporation – O Represamento do Rio Amazonas

Leo Corbusier e Reinaldo, O Bruto comandam a Buldozer Corporation, empresa de engenharia apta a fazer desde pequenas reformas até grandes intervenções governamentais no espaço nacional. Apresentaremos aqui alguns dos mais ousados projetos desses intrépidos profissionais, que vêm dia após dia revolucionando a forma do homem encarar e transformar o espaço, com ousadia e coragem para propor mudanças significativas. Para começar, apresentaremos um projeto encomendado esse ano para acabar para sempre com qualquer possibilidade de crise energética no país:


Pôster de apresentação do projeto


O Ministério de Minas e Energia encomendou em janeiro estudo preliminar para um projeto ousado por parte do governo:

“Brasília, 05 de janeiro de 2004

De: Dilma Rousseff – Ministra das Minas e Energia da República Federativa do Brasil
Para: Leo Corbusier e Reinaldo, o Bruto – Proprietários da Buldozer Corporation
Assunto: Geração de Energia Elétrica

Caros Senhores;

Gostaria que apresentassem estudo preliminar para uma solução definitiva para a segurança do abastecimento energético do país.

Atenciosamente;

Dilma Rousseff”


Rapidamente nossa equipe técnica começou a trabalhar intensamente durante dez minutos, após os quais já havia sido definida a estratégia para evitar que nosso país venha a algum dia a sofrer novamente uma crise no setor de energia: construir uma hidrelétrica na foz do Rio Amazonas. Apenas um geógrafo da equipe se opôs a idéia, porque o Rio Amazonas é um “rio de planície”, e o lago resultante do represamento inundará cerca de 30% do território nacional. Rapidamente dei um cala-boca no sujeito:

- Eu sei, idiota! Essa é a idéia!

Eis um resumo dos pontos positivos da intervenção:

1)O país gerará energia suficiente para atender às necessidades das Américas pelos próximos dez mil anos!
Raros são os governos que pensam estrategicamente e a longo prazo. Países xoxos como Dinamarca e Noruega fazem planejamento para a situação dos seus países nos próximos 20 anos. A Buldozer Corporation dá um banho de técnica nesses babacas, e mostra o que é de verdade planejamento a longo prazo, gerando energia elétrica de sobra e criando uma nova fonte de renda para o país que durará até o Juízo Final.

2)Criação do maior monumento do mundo!
A represa que conterá a hidrelétrica será construída encostada na cidade de Manaus, que será o receptáculo da queda d’água de quatrocentos metros de altura que movimentará os rotores da hidrelétrica, cuja barragem terá duzentos quilômetros de comprimento e quinhentos metros de altura, capaz de ser vista da órbita da Terra com muito mais clareza que a Muralha da China.

3)Criação de um belíssimo mar interno para o país!
Todo país continental que se preze tem que ter um mar interno: Estados Unidos e Canadá têm os Grandes Lagos, a Rússia tem o Mar de Aral, até a China tem um pedaço de mar que a separa do Japão. Agora o Brasil também terá um mar interno, o “Mar Amazônico”, que será o maior do mundo, motivo de orgulho para todos nós. Vale ressaltar também que a proposta tem um viés ecológico, vez que recuperará a natureza da região no período pré-cambriano, alguns milhões de anos atrás.

4)Solução definitiva para o problema das reservas indígenas!
Vamos finalmente reparar a injustiça a que vêm sendo submetidos os nativos brasileiros há mais de quinhentos anos, devolvendo-lhes definitivamente cerca de trinta por cento do território nacional, para que possam viver e prosperar: a superfície do lago! Ali, ninguém os incomodará, eles poderão morar tranquilamente em suas canoas e terão comida e água à vontade para consumir e serem felizes, como no filme “Waterworld”. Para disciplinar a situação e evitar abusos, haverá guardas florestais a postos para meter bala em qualquer um que se meta a desembarcar na margem.

5)Extermínio definitivo dos amazonenses!
A sub-raça mais inútil do país vai ser afogada e eliminada da face da terra, sendo seu imbecil estado de origem inundado e sua capital transformada em ponto de queda da cascata da barragem. Esquadrões da morte podem dar um jeito nos remanescentes pelo resto do país. De quebra, também vamos afundar o Equador, um dos países mais estúpidos que já surgiram no mundo.

6)Redução no consumo nacional de energia elétrica, e demais despesas do governo!
Como um terço do país vai ser inundado (e justamente aquele que não gera quase porra nenhuma de divisas para o país), vão sobrar mais recursos para investir em lugares que realmente servem para alguma coisa, como Cubatão, São Paulo, Rio de Janeiro, Alexânia, Cocalzinho, etc.

7)Ligação entre o Atlântico e o Pacífico!
Chega daquela ligação tosca no Canal do Panamá, os oceanos Atlântico e Pacífico devem ser interligados por um canal de macho, e esse canal é o Mar Amazônico! Basta demolir um pedaço da Cordilheira dos Andes para passar a água e pronto, qualquer um vai poder pegar sua lancha em Belém e poder chegar a Tóquio, sem stress! A barragem terá elevadores para ginchar patroleiros até o nível do Mar Interno, e o comércio Brasil-Oriente se intensificará!

8)Brasília vai passar a ter praia!
Será feito um canal especialmente para trazer o mar à Brasília, para que ela possa passar a ser considerada uma cidade-balneário, além de capital do País. Palmas (TO) será preservada, em uma pequena ilha cercada pelo mar interno, protegida por diques em concreto armado de duzentos metros de altura.

Bem senhores, esse é o resumo do projeto. O governo já deu o “OK” e pretende executá-lo ainda no presente mandato. É a Buldozer Corporation e o Governo Federal mostrando como é que macho constrói o futuro de um país.